Sintomas de crise de ansiedade podem refletir na alimentação
Sintomas de crise de ansiedade podem refletir na alimentação

Quando temos algum tipo de desconforto físico, geralmente identificamos com relativa facilidade: ninguém gosta de ficar sentindo dor por muito tempo. Mas quando este incômodo é interno, ou seja, emocional, nem sempre é fácil detectar onde está o problema.

Por isso, hoje vou falar um poucos sobre os sintomas de crise de ansiedade, algo que pode afetar diretamente a alimentação e a saúde de um modo geral.

Ainda existe muito preconceito com relação às desordens psicológicas. Justamente porque são difíceis de medir e diagnosticar – somente a própria pessoa pode dizer o que está sentindo.

E acredite: ainda que sua fisionomia demonstre o contrário, e ela consiga disfarçar que está bem, por dentro pode estar enfrentando grandes batalhas.

Já é muito bem demonstrado pela ciência o quanto nosso estado emocional afeta a forma como comemos.

Por isso sempre digo que, para alcançar um peso saudável, é preciso não só focar nos nutrientes, mas também, rever o comportamento. É preciso evitar o comer emocional para ter uma melhor relação com a comida e com o corpo.

Sendo assim, antes de sair apostando em qualquer dieta maluca, cheia de restrições, que tal procurar saber se tudo está bem com o seu lado emocional?

É interessante saber identificar os sintomas de crise de ansiedade, porque eles podem desencadear hábitos ruins diante da comida.

Vale lembrar que a ansiedade pode até mesmo se manifestar fisicamente, por meio de tremores, boca seca, dor de barriga, taquicardia, falta de ar, entre outros.

Mas hoje vamos nos concentrar mais nos sintomas psicológicos, para depois entender como eles impactam a alimentação.

Sintomas de crise de ansiedade: como identificar?
Este artigo não substitui, de forma alguma, uma consulta médica. Mas faço aqui um alerta para as pessoas que identificam alguns destes sintomas de crise de ansiedade a seguir, descritos pelo Ministério da Saúde.

Preocupações exageradas: a pessoa ansiosa sente muita tensão e dificilmente consegue relaxar. Vive preocupada com questões da família, trabalho, vida financeira, saúde, etc.
Medos irracionais: entre os sintomas de crise de ansiedade mais comuns está o medo. O ansioso tende a gastar muito tempo pensando que coisas ruins podem acontecer, têm receio de que possa ser humilhado publicamente ou ainda se sente apreensivo com alguma situação em particular.
Falta de controle dos pensamentos: as pessoas ansiosas também sofrem por ficar pensando obsessivamente em cenários que geram ainda mais ansiedade, e sentem grande dificuldade de controlar este tipo de pensamento.
Ansiedade, comida, peso e dieta: tudo pode estar ligado!
Muitos ansiosos usam a comida para ter um alívio momentâneo de suas pressões internas. O prazer gerado pelo alimento pode os fazer esquecer, ainda que por alguns segundos, das suas maiores preocupações.

A comida realmente tem este poder, afinal, ela nos traz prazer. O problema é que o cérebro é esperto e nunca vai pedir um prato de salada em uma crise de ansiedade, e sim, alimentos ricos em gordura ou açúcar (chocolate, salgadinhos, bolacha recheada, etc.).

Claro que se a pessoa estiver em paz com a comida poderá comer este tipo de alimento com moderação. Mas se você sente alguns dos sintomas de crise de ansiedade listados acima, pode estar usando a comida como uma válvula de escape.

E isso é ruim, porque geralmente é um comer sem controle, sem fome, sem vontade, e até sem sentir o sabor das coisas. Porque a pessoa não está comendo de forma consciente.

O problema fica ainda pior se este comportamento começa a afetar a saúde ou impulsionar um quadro de obesidade.

Porque, nestes casos, existe uma tendência grande de a pessoa querer apelar para métodos radicais para emagrecer e isso não é nada bom para o organismo.

O que fazer?
Se você anda se sentindo muito ansioso e percebe que está descontando isso na comida, reveja seus hábitos e busque ajuda.

Em primeiro lugar, evite fazer dietas restritivas, porque elas agridem o corpo, aumentam a fome e podem ampliar os sintomas de ansiedade.

Além disso, busque fontes de prazer que não estejam necessariamente ligados ao ato de comer:

assistir uma série que você gosta
cuidar das plantas
andar de bicicleta
caminhar
dançar
passear com o cachorro
encontrar uma amiga
ler um bom livro
tomar um banho quente
ouvir uma boa música
Tudo isso faz muito bem para nossa saúde mental!

E se você acha que não consegue sozinho, não tenha vergonha de procurar ajuda! Um bom acompanhamento psicológico e nutricional pode trazer grandes resultados!


13 de dezembro de 2018 , às 14:10